Vice-primeiro-ministro polonês quer que Netflix remova especial de natal do Porta dos Fundos

Exigimos que a Netflix retire o blasfêmia de sua plataforma”, escreveu o vice-primeiro-ministro polonês Jarosław Gowin no Twitter, dirigindo-se ao chefe da Netflix que publicou o controverso programa “A Primeira Tentação de Cristo”

Por: Redação Deo Vero
. Atualizado: 8/01/2020 às 15h:18

O especial produzido pelo Porta dos Fundos é uma paródia que descreve Jesus como homossexual.

Jarosław Gowin incentivou os internautas a assinar uma petição online para que o programa fosse removido da plataforma Netflix.

“Todos os anos, o grupo de comédia brasileiro Porta dos Fundos produz um filme de Natal para atacar cristãos e cristianismo. A série é intitulada: A Primeira Tentação de Cristo. Pode-se dizer que essas produções têm apenas um objetivo – a blasfêmia. Claro, o assunto dessa blasfêmia é apenas uma religião – o cristianismo “, lê a petição que foi assinada por mais de 1,4 milhão de pessoas na noite de domingo.

Após protestos no Brasil, a Netflix publicou uma declaração no jornal “O Estado de S. Paulo”, no qual a empresa argumenta que “a Netflix valoriza e aceita a liberdade criativa dos artistas com quem trabalha” e que a empresa reconhece que nem todo mundo vai gostar deste conteúdo. Também enfatizou que em sua plataforma os espectadores têm acesso a uma variedade de produções, incluindo aquelas baseadas na Bíblia.

“A Primeira Tentação de Cristo” foi publicado pela Netflix em 3 de dezembro. Foi amplamente comentado e enfrentou muitas críticas em todo o mundo. No Brasil, dois milhões de pessoas assinaram uma petição pedindo que o filme fosse removido da Netflix por ofender os sentimentos religiosos dos cristãos.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




Leia Mais

Comentários

Apenas usuários logados podem comentar ou responder nossas matérias.