Shia LaBeouf encontra a pérola de grande valor

. Atualizado: 7/09/2022 às 17h:01
Foto Reprodução Youtube/Bispo Robert Barron

Até agora, a maioria dos católicos conectados à Internet já ouviu notícias do ator Shia LaBeouf e sua jornada ao catolicismo. A conversão se seguiu após sua preparação para filmar Padre Pio (2022) como personagem-título.

O canto católico da Internet se inflamou com discursos apaixonados sobre sua entrevista com o bispo Robert Barron. Na entrevista LaBeouf menciona por que a missa tradicional em latim o afeta profundamente.

Os defensores da missa em latim se regozijaram com o fato de LaBeouf estar falando a verdade. LaBeouf, em linguagem surpreendentemente técnica, mas não polida, descreveu o que a maioria de nós tenta transmitir aos líderes da Igreja há anos. A tradicional missa em latim é uma pérola de grande valor, e deve ser conhecido, amado e abraçado pela Igreja.

É claro que sua entrevista – e particularmente sua analogia do Novus Ordo como uma tentativa de vender-lhe um carro – desencadeou uma tempestade na blogosfera católica, com os suspeitos de sempre repreendendo LaBeouf por sua “caricatura desdenhosa” do usus recentior e aqueles nos níveis mais altos da Igreja expressando perplexidade com seus comentários.

LaBeouf e a missa em Latim

O que está por trás da atração de LaBeouf pela missa tradicional em latim?

Sua introdução à Missa Latina foi, em parte, necessária para sua representação do Padre Pio.

Vale a pena perguntar por que um homem tão profundamente saturado no estilo de vida secular de Hollywood acharia a missa em latim atraente.

Related Posts

Livre dos compromissos intelectuais e profissionais exigidos pelos liturgistas “especialistas”, LaBeouf pode falar como um simples observador, que não sente a necessidade de mostrar lealdade ao Partido.

“[A] Missa em latim me afeta profundamente”, diz ele ao bispo Barron.

Quando Barron pergunta por que, LaBeouf responde: “Porque parece que eles não estão me vendendo um carro….

Volta ao catolicismo

Em outra parte da entrevista, LaBeouf menciona momentos importantes de sua volta ao catolicismo. Incluindo ser acolhido pelos frades capuchinhos enquanto se preparava para assumir o papel de Padre Pio. Lendo o Evangelho de Mateus, rezando o Rosário, recebendo catequese de padres e freiras , participando da Missa, rezando em silêncio diante do Santíssimo Sacramento e até fazendo refeições em comum.

Para seu crédito, Barron é um excelente entrevistador, fazendo perguntas pontuais e dando muito espaço para LaBeouf expor suas novas experiências.

LaBeouf menciona Townsend várias vezes durante a entrevista, e ele vê claramente a mensagem de misericórdia e arrependimento que o catolicismo oferece.

Vale a pena notar que a atração de LaBeouf pelo catolicismo veio de sua imersão na vida da Igreja.

Parece que LaBeouf encontrou a pérola de grande valor, aquela que, quando encontrada, inspira a vender tudo o que possui para comprá-la (São Mateus 13, 45-46).

É claro que os católicos não devem dar muita importância à entrevista de LaBeouf com o bispo Barron, como se ele agora fosse nosso representante simbólico.

Além disso, se os hierarcas da Igreja são verdadeiramente genuínos em seu desejo por uma “Igreja que ouve”, por “acompanhamento”, “caminhar juntos” e “ler os sinais dos tempos”, como eles podem ignorar um pecador arrependido que está disposto a vender tudo para a missa que ele ama?

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    0 Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Deo Vero.