Regime nicaraguense prende Dom Rolando Álvarez em operação noturna

Dom Rolando Álvarez, de Matagalpa, Nicarágua, foi levado pela polícia em um comboio de pelo menos oito carros de patrulha por volta das 3h.

Por: Sophia Mendes
. Atualizado: 25/08/2022 às 02h:43
Dom Rolando Álvarez
(Imagem: Diocese de Matagalpa)

Dom Rolando Álvarez, bispo de Matagalpa, foi levado pela polícia em um comboio de pelo menos oito carros de patrulha por volta das 3h. De acordo com informações locais, o bispo foi levado pós duas semanas de prisão domiciliar virtual na Casa da Cúria.

De acordo com o 100% Noticias, relata que testemunhas oculares viram Dom Rolando Álvarez sendo levado para fora da cidade. Ele foi levado junto com oito pessoas que foram forçadas a permanecer na cúria.

Conforme o El Boletín Ecológico, postou vídeos dos sinos da igreja tocando sinos para alertar as pessoas em Matagalpa que a polícia estava prendendo o bispo nas primeiras horas de 19 de abril.

Várias fontes disseram ao Deo Vero nos últimos dias que o governo Ortega quer silenciar Álvarez “a todo custo”. Sugeriram que ou o bispo deixasse o país ou enfrentasse a prisão.

Ainda assim, se o regime do presidente Daniel Ortega e sua esposa, a vice-presidente Rosario Murillo, permanecer fiel, o bispo e seus companheiros presos na famosa prisão de El Chipote, em Manágua, onde estão detidos mais de 190 presos políticos.

Álvarez estava preso na Cúria desde agosto, junto com cinco sacerdotes e seis leigos.

Logo após, a polícia emitiu uma declaração de que o bispo estava sob investigação.

Related Posts

Três leigos puderam deixar a cúria antes da batida policial.

Eles disseram oficialmente que nossa casa é nossa prisão”, o bispo interpretou o comunicado da polícia na época.

Vaticano não emitiu comentários sobre a prisão de Dom Rolando Álvarez

O Vaticano ainda não comentou o que está acontecendo na Nicarágua, e nenhum alto funcionário sequer se referiu à prisão domiciliar de Álvarez.

Nesta quarta-feira, 26 ex-chefes de Estado da América Latina e da Espanha expressaram sua preocupação com a perseguição religiosa desencadeada pela ditadura. Autoridades pediram ao Papa Francisco que trabalhe em defesa do povo nicaraguense e da liberdade religiosa.

O regime de Ortega-Murillo há muito vê a hierarquia católica como sua inimiga, e Báez, Álvarez e o cardeal Leopoldo Brenes de Manágua recebem muitas críticas do regime.

Várias conferências episcopais também expressaram apoio à Igreja na Nicarágua, incluindo o CELAM, a comissão regional dos bispos para a América Latina e o Caribe.

O cardeal Oscar Rodríguez Maradiaga, de Honduras, disse esta semana: “Esta guerra silenciosa que estão travando para perseguir Jesus em sua igreja na nação irmã da Nicarágua não é o fogo que Jesus queria trazer.”

Em El Salvador, o cardeal Gregorio Rosa Chávez disse que a perseguição aos católicos na Nicarágua foi o “caso mais terrível de martírio” na região.

Ortega persegue católicos há meses

No sábado, o cardeal nicaraguense Leopoldo Breves abençoou várias imagens de Nossa Senhora de Fátima que iriam a cada diocese. Além disso, no domingo, o governo de Ortega proibiu o padre da diocese de Atahualpa, onde o bispo local está virtualmente em prisão domiciliar, de receber a imagem.

Fecharam dezenas de estações de rádio e televisão católicas nos últimos meses, embora algumas tenham desafiado o governo transmitindo seus programas pela internet.

Erramos: o texto foi alterado!

  • No título ficou faltando o verbo prender.
  • Afirmamos que sete leigos puderam deixar a cúria antes da batida policial, na verdade  segundo nossas fontes, somente três leigos puderam.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    1 Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Deo Vero.