Papa Francisco e presidente ucraniano falam ao telefone

Por: César Edson da Paz
. Atualizado: 24/08/2022 às 07h:41
Papa Francisco e presidente ucraniano falam ao telefone
(Imagem: Україна/Winkmedia Criative Commons)

Enquanto circulam rumores sobre uma possível visita do Papa Francisco a Kyiv em setembro. Papa Francisco e presidente ucraniano falam ao telefone, presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy revelou nesta sexta-feira que havia falado com o líder da Igreja Católica.

Agradeci ao Papa Francisco por orar pela Ucrânia durante uma conversa com ele”, escreveu Zelenskyy no Instagram. “Falei sobre a agressão da Rússia e os terríveis crimes contra nosso Estado.

Precisamos do apoio dos líderes espirituais do mundo, que devem transmitir ao mundo a verdade sobre os horrores que o país agressor está cometendo em nossa terra. É muito importante para nós”.

Logo depois, em um tweet separado, o embaixador ucraniano na Santa Sé, Andrii Yurash, reiterou a notícia da conversa telefônica, acrescentando que “o Estado e a sociedade ucranianos ficarão felizes em saudar o Santo Padre”, expressando esperanças de uma visita de Papa Francisco para Kyiv.

Yurash foi recebido pelo pontífice na semana passada

A assessoria de imprensa do Vaticano não confirmou a ligação. No entanto, o Vatican News, o meio de comunicação oficial da Santa Sé, publicou um artigo sobre a central telefônica.

O embaixador disse ao Deo Vero que os dois líderes falaram sobre uma possível visita papal à Ucrânia porque este é “um assunto muito importante para a Ucrânia. Era impossível omitir este tópico.

No entanto, Yurash acrescentou, “não há uma resposta final positiva”.

Esta foi a terceira conversa entre o papa e o presidente ucraniano. A primeira ocorreu em 26 de fevereiro, dois dias após o presidente russo Vladimir Putin ordenar a invasão do país. A segunda aconteceu em 22 de março, minutos antes de Zelenskyy se dirigir ao Parlamento italiano.

Papa Francisco e presidente ucraniano expressam profunda tristeza pelos trágicos eventos

Durante sua primeira conversa, o papa expressou “sua mais profunda tristeza pelos trágicos eventos que estão ocorrendo no país”.

Related Posts

Pouco depois, Zelenskyy disse nas redes sociais que havia “agradecido ao Papa por orar pela paz na Ucrânia e por uma trégua. O povo ucraniano sente o apoio espiritual de Sua Santidade”.

Essa conversa ocorreu um dia depois que o papa fez uma visita surpresa à embaixada russa na Santa Sé para transmitir sua preocupação com a invasão da Ucrânia pela Rússia. Foi um desvio sem precedentes do protocolo diplomático. 

Em março, ao se dirigir ao Senado italiano, Zelenskyy teria citado as “palavras muito importantes” do Papa Francisco, alegando que o líder católico disse: “Eu entendo que você quer paz, eu entendo que você quer se defender, eu entendo que os militares defende os civis, e que os civis defendem sua própria pátria”.

Zelenskyy disse que sua resposta às palavras do pontífice foram: “Nosso povo se tornou o exército, quando viu o mal que o inimigo traz consigo, quanta devastação ele deixa para trás e quanto sangue ele quer ver derramado”.

Há rumores de uma possível visita papal à Ucrânia desde antes do início da guerra. Devido à invasão, foi adiada indefinidamente. No entanto, nas últimas semanas, houve várias vozes de ambos os lados sugerindo uma viagem em setembro.

Embora não confirmado oficialmente, vários observadores acreditam que isso pode realmente acontecer como uma adição à viagem de Francisco de 13 a 15 de setembro ao Cazaquistão, onde ele participará de uma cúpula inter-religiosa que incluirá participantes como o Patriarca Kirill, chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

O papa e o chefe do patriarcado de Moscou também deveriam se reunir em junho, mas o Vaticano cancelou devido à guerra.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    1 Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Deo Vero.