Audiência Geral: A oração, o autoconhecimento nos permitem crescer em liberdade

Por: Mathias Ribeiro
. Atualizado: 5/10/2022 às 14h:28
Audiência Geral

O Papa Francisco continuou seu ciclo de reflexões sobre o tema do discernimento durante sua catequese na Audiência Geral de quarta-feira.

Dirigindo-se aos fiéis, o Papa destacou que o bom discernimento também requer autoconhecimento porque “envolve nossas faculdades humanas: memória, intelecto, vontade, afetos”.

Muitas vezes, não sabemos discernir porque não nos conhecemos o suficiente e, portanto, não sabemos o que realmente queremos”, disse o Papa.

O Santo Padre observou que as dúvidas espirituais subjacentes e as crises vocacionais não raramente são um diálogo insuficiente entre a vida religiosa e nossas dimensões humanas, cognitivas e afetivas.

Ele ilustrou isso referindo-se a um escritor sobre espiritualidade. Que sublinhou quantas dificuldades no tema do discernimento são indicativas de problemas de outro tipo, que precisam de reconhecimentos e exploração.

O autor expressou sua convicção de que o maior obstáculo ao verdadeiro discernimento e ao verdadeiro crescimento na oração. Essa obstáculo não é a natureza intangível de Deus, mas o fato de que “não nos conhecemos suficientemente, e nem mesmo queremos nos conhecer como realmente somos. ” como “quase todos nós nos escondemos atrás de uma máscara, não apenas na frente dos outros, mas também quando nos olhamos no espelho”.

Veja Também

Concluindo sua catequese na Audiência Geral

Mais ainda, ele continuou, requer distinguir entre emoções e faculdades espirituais. Separar entre “eu sinto” e “estou convencido”, e saber que “eu sinto” não é o mesmo que “eu quero”.

O Papa Francisco explicou que, assim como as senhas são exigidas para entrar em programas em nossa era da tecnologia da informação, até a vida espiritual tem “senhas” – palavras que “tocam o coração porque se referem ao que somos mais sensíveis”.

Deste mal-entendido muitas vezes vem o maior sofrimento, porque nenhuma dessas coisas pode ser a garantia de nossa dignidade”, disse o Papa. Ele destacou a importância de conhecer a nós mesmos e ao que somos mais sensíveis para poder nos proteger de aqueles que se apresentam com palavras persuasivas para nos manipular. Bem como para reconhecer o que é realmente importante para nós.

Concluindo sua catequese, o Papa Francisco sublinhou que a oração e o autoconhecimento nos permitem crescer em liberdade. Pois são elementos básicos da existência cristã, bem como elementos preciosos para encontrar o lugar na vida.

Na saudação aos fiéis após a catequese, o Papa apelou às orações pela “Ucrânia mártir” e pediu o dom da paz.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    1 Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Deo Vero.

    Nenhum número escolhido ainda