Papa: A Igreja é convidada a ouvir ativamente as famílias e envolvê-las na pastoral | Deo Vero
Botão de Pesquisar Pesquisar
Botão de Pesquisar Entrar
Botão de Pesquisar Assine

Papa: A Igreja é convidada a ouvir ativamente as famílias e envolvê-las na pastoral

O Papa Francisco destaca a importância da colaboração envolvendo o clero, os casais e as famílias na missão da evangelização em uma mensagem de vídeo aos participantes de um fórum para refletir sobre a Exortação Apostólica Amoris Laetitia.

Por: Juliana Gabriela Sophia Brito
. Atualizado: 9/06/2021 às 13h:12

O Papa Francisco se dirigiu na quarta-feira aos participantes de um fórum organizado pelo Dicastério para os Leigos, Família e Vida, para discutir estratégias para a aplicação da Exortação Apostólica Amoris Laetitia ,  cinco anos depois de sua promulgação em março de 2016.

Em mensagem de vídeo, o Papa destacou que o fórum representa um momento essencial de diálogo entre a Santa Sé, as conferências episcopais, os movimentos e as associações familiares em consonância com o ano da Família Amoris Laetitia , anunciado pelo Papa Francisco durante a Mensagem Angelus de 27 de dezembro de 2020 Isso porque “o Espírito Santo torna fecundo o momento para a Igreja, pastores e leigos juntos, se encontrarem para escutar as necessidades concretas das famílias e se ajudarem a empreender os processos necessários para renovar o anúncio da Igreja. . ”

O webinar, que acontecerá de 9 a 12 de junho, terá a participação de delegados dos Escritórios da Família de mais de 60 conferências episcopais e mais de 30 movimentos internacionais. Os participantes se reunirão sob o tema: “Onde estamos com Amoris laetitia ? Estratégias para a aplicação da Exortação Apostólica do Papa Francisco. ”

Estimular o discernimento eclesial sobre a família

Sustentando o tema do encontro, o Papa Francisco disse que se pretende “estimular um fecundo discernimento eclesial sobre o estilo e as finalidades da pastoral familiar na perspectiva da nova evangelização”.

A Exortação Amoris Laetitia, destacou o Papa, “é fruto de uma profunda reflexão sinodal sobre o matrimônio e a família e, como tal, requer um trabalho paciente na implementação e na conversão missionária”.

Sob este prisma, o Fórum “posiciona-se em continuidade com o caminho sinodal, que deve poder ser realizado nas Igrejas locais” e requer “cooperação, partilha de responsabilidades, capacidade de discernimento e disponibilidade para estar perto das famílias”.

Envolvendo famílias na evangelização

O Papa Francisco prosseguiu destacando o convite da Igreja a escutar ativamente as famílias e envolvê-las como sujeitos da pastoral, especialmente em meio às dificuldades causadas pela pandemia que “dilacera a vida da família e sua íntima comunhão de vida e amor.”

Para levar o amor de Deus às famílias e aos jovens, disse ele, “precisamos da ajuda das próprias famílias, sua experiência concreta de vida e de comunhão. Precisamos dos esposos junto com os pastores, para caminhar com outras famílias, para ajudar os mais fracos, para anunciar que, mesmo nas dificuldades, Cristo está presente no Sacramento do Matrimônio para dar ternura, paciência e esperança a todos, em todas as situações de vida.”

O Papa afirmou que todos os batizados são “agentes de evangelização” e destacou que é necessário deixar de lado as mensagens meramente teóricas, sem conexão com os problemas reais das pessoas, assim como a ideia de que a evangelização está reservada a uma elite pastoral.

Co-responsabilidade pela missão

“O casamento, como o sacerdócio, serve para construir o Povo de Deus e confere uma missão especial aos esposos na edificação da Igreja”, disse o Papa Francisco.

A família, portanto, é uma ‘Igreja doméstica’ onde a presença sacramental de Cristo atua entre os esposos e entre pais e filhos, e “a experiência do amor nas famílias é uma fonte perene de força para a vida da Igreja”. Portanto, em virtude do sacramento do matrimônio, “toda família se torna plenamente um bem para a Igreja”.

Nesta perspectiva, a corresponsabilidade pela missão exige que os casais e os ministros ordenados, especialmente os bispos, cooperem no cuidado das Igrejas domésticas.

«Nós, pastores, devemos deixar-nos iluminar pelo Espírito, para que este anúncio salvífico seja realizado pelos casais que muitas vezes estão ali, prontos, mas não chamados», disse o Papa, acrescentando que assim como «o masculino e o feminino , na sua complementaridade, unem-se para formar a tapeçaria da família, assim também os sacramentos da Ordem e o matrimônio são ambos indispensáveis ​​para a construção da Igreja como família de famílias ”.

Um novo olhar sobre Amoris Laetitia

Dirigindo-se ainda aos participantes, o Papa convidou-os a “relançar” a Exortação, a fim de identificar “entre as prioridades pastorais nela indicadas, aquelas que melhor correspondem às necessidades concretas de cada Igreja local e a persegui-las com criatividade e zelo missionário. ”

“Na esteira do valor programático da Evangelii gaudium e do programa pastoral concreto delineado por Amoris laetitia para a pastoral familiar, desejo que todas as comunidades se empenhem para avançar no caminho de uma conversão pastoral e missionária que não pode deixar as coisas como estão atualmente ”, disse ele.

O Papa Francisco também apelou a um esforço especial na formação dos leigos, especialmente dos cônjuges e das famílias, para que possam compreender melhor a importância do seu compromisso eclesial e da missão que vem do ser casal e família.

O Santo Padre passou a chamar a atenção para alguns dos desafios da Igreja para a família que requerem um renovado impulso pastoral, incluindo “a preparação para o matrimônio, o acompanhamento dos jovens casais, a educação, a atenção aos idosos, a proximidade com as famílias feridas ou com aqueles que, em uma nova união, desejam viver plenamente a experiência cristã ”.

Por fim, o Papa Francisco expressou a esperança de que os encontros sejam uma oportunidade para compartilhar idéias e experiências pastorais, bem como criar uma rede que possa ajudar a anunciar o Evangelho da família da maneira mais eficaz em resposta aos sinais dos tempos.

Com um pedido de orações por si mesmo, o Papa concluiu a sua intervenção, confiando os participantes do fórum à intercessão de Nossa Senhora e de São José.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.

É Necessário estar logado para nos enviar sugestões. Cadastre-se ou faça login com sua conta.

Leia Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Facebook Botão Facebook