Menina escolhe o tema de Nossa Senhora Aparecida para sua festa de aniversário

Por: Mathias Ribeiro
. Atualizado: 23/05/2022 às 20h:54
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)

A Maria Glória ou como todos a conhecem, Glorinha de 5 anos realizou sua festa de aniversário no dia 16 de julho, com o tema de Nossa Senhora Aparecida.

Sua mãe, Elisandra, sofria com problemas hormonais e ovário policístico que a impedia de engravidar, até que um dia ela foi até o Santuário Nacional de Aparecida pediu a intercessão de Nossa Senhora para que ela tivesse a graça de ser mãe, um mês depois ela descobre que estava grávida da linda Glorinha. Ela nasceu no dia 20 julho.

Abaixo segue as fotos do aniversário da Glorinha:

Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Docinhos Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Maria Clara abraçando Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)
Nossa Senhora Aparecida
(Imagem: Reprodução/Redes Sociais)

A história de Nossa Senhora Aparecida

Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida (anterior a 1743) e no Arquivo da Companhia de Jesus, em Roma: a história registrada pelos padres José Alves Vilela, em 1743, e João de Morais e Aguiar, em 1757, cujos documentos se encontram no Primeiro Livro de Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá.

Segundo os relatos, a aparição da imagem ocorreu na segunda quinzena de outubro de 1717, quando Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos, conde de Assumar e governante da capitania de São Paulo e Minas de Ouro, estava de passagem pela cidade de Guaratinguetá, no vale do Paraíba, durante uma viagem até Vila Rica.

O povo de Guaratinguetá decidiu fazer uma festa em homenagem à presença de Dom Pedro de Almeida e, apesar de não ser temporada de pesca, os pescadores lançaram seus barcos no rio Paraíba do Sul com a intenção de oferecerem peixes ao conde. Os pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso rezaram para a Virgem Maria e pediram a ajuda de Deus. Após várias tentativas infrutíferas, desceram o curso do rio até chegarem ao Porto Itaguaçu. Eles já estavam a desistir da pescaria quando João Alves jogou sua rede novamente, em vez de peixes, apanhou o corpo de uma imagem da Virgem Maria, sem a cabeça. Ao lançar a rede novamente, apanhou a cabeça da imagem, que foi envolvida em um lenço. Após terem recuperado as duas partes da imagem, a figura da Virgem Aparecida teria ficado tão pesada que eles não conseguiam mais movê-la. A partir daquele momento, os três pescadores apanharam tantos peixes que se viram forçados a retornar ao porto, uma vez que o volume da pesca ameaçava afundar as embarcações. Esta foi a primeira intercessão atribuída à santa.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.

[contact-form-7 id=”2874″ title=”Fale com a Redação”]

0 Comentários