Mathias Ribeiro

Influencer católico que é péssima influência para católicos

Ele é considerado ídolo para muitos católicos, um deus incriticável.

. Atualizado: 17/05/2020 às 12h:42

É necessário escrever um artigo sobre  o assunto pois ele é endeusado por católicos do Brasil inteiro e ao mesmo tempo é péssima influência para quem busca a santidade.

Já ouvi falar por alto no Dr. Ítalo Marsili, muita gente me recomendava segui-lo no Instagram, até dei uma olhada no seu perfil e não vi nada demais na época, as coisas que ele falava sobre a vida em seu perfil com quase 1 milhão de seguidores não eram novidades, tinha frases de impacto e muitos palavrões, não achei que tudo aquilo fosse edificante para quem busca a santidade ou queira construir uma família, então ignorei.

Até que há alguns meses um rapaz do Centro Dom Bosco me passou o contato dele o recomendando para ser colunista em nosso site, achei que seria interessante termos um psiquiatra em nossa equipe, até porque futuramente iriamos fazer um trabalho sobre vícios em pornografia, masturbação, homossexualidade etc, e por mais que eu não concordasse com sua postura no Instagram, achei que com seu conhecimento acadêmico na psiquiatria poderia ser grande ajuda nesses assuntos. Falei com ele, ele foi muito gente boa, agradeceu pelo convite, disse que não tinha tempo para escrever, e é exatamente por esse motivo que neste artigo irei me limitar ao campo das ideias e não a pessoa Ítalo Marsili, porque de fato ele não parece ser uma pessoa ruim, e também, porque eu não o odeio.

Mas eu só fui conhecer o verdadeiro trabalho do psiquiatra quando ele deu uma entrevista na Jovem Pan, onde ele falou de forma desrespeitosa sobre o finado Padre Quevedo, logo em seguida houve uma discussão na internet entre ele, Padre Augusto Bezerra e o Padre Sergio Muniz, então eu resolvi olhar com mais calma suas redes sociais.

Eu não posso estar sofrendo assassinato de reputação, pois não tenho nem busquei ter uma. Esses clérigos, no entanto, ao virem aqui bater os pezinhos, inauguraram uma nova e deprimente modalidade: o SUICÍDIO de reputação.” – afirma o psiquiatra.

Suas postagens nas redes sociais incluem extrema arrogância, intolerância a frustração ou contrariedade, agressividade brutal na fala e desvalorização do outro. De acordo com a ideologia do psiquiatra, “outro” sempre é um fraco, fresco, babaca, burro ou qualquer outro palavrão da língua portuguesa. Em suas publicações, Ítalo parece estar sempre irritado com o outro, mesmo quando finge que essa irritação tem a intenção de “ajudar”.

Imagem do Psiquiatra colocando a culpa dos problemas das pessoas nelas mesmas

Apesar de não se declarar coach, uma breve pesquisa em suas redes sociais podemos ver uma postura de um coach, inclusive ele vende um curso no valor de R$ 3.999,00, exatamente o que um coach faz. Não existe nenhum problema em ser coach, já que temos “coaches” em nossa equipe editorial que inclusive fazem um bom trabalho, o problema aqui é o que ele ensina em suas redes sociais e para quem ele ensina.

Nos últimos meses surgiu uma chuva de meninas e mulheres católicas compartilhando uma imagem dele convidando as pessoas para serem “Close Friends” no Instagram, percebi que ele tem uma influência muito grande entre mulheres católicas e conservadoras, achei estranho, pois em suas redes sociais me deparei com respostas bem preocupantes para alguém que se declara católico, e o pior de tudo, as pessoas aplaudem!

Em uma pergunta um seguidor quer saber se deve desprezar uma mulher e seu namorado, ítalo além de aconselhar a cobiçar a mulher do próximo, incentiva o seguidor a “roubar” a namorada dos otários, contrariando aquilo que está escrito em São Mateus 5,28.

“Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher já adulterou com ela em seu coração. ”

– São Mateus, 5, 28

Não sei se tu sabe, mas eles juntaram os trapinhos. Todo namoro é desprezível e não deve ser respeitado. “Roubar” a namorada e namorado dos otários que enrolam é um dever moral se você sabe que pode dar o mundo e a vida poe ele/ela“. – afirma Ítalo. Print do Psiquiatra ensinando um internauta a cobiçar a mulher do próximo
Em um outro print o Psiquiatra menospreza uma internauta que sofreu abuso sexual quando criança, onde ele deveria ter aconselhado a menina a rezar, procurar um diretor espiritual e ajuda médica.

Você foi abusada, o porteiro do prédio foi abusado, a moça da esquina foi abusada, eu fui abusado, o cara passeando com o cachorro ali embaixo foi abusado… eu não tenho pena de você. Não tenha também. Amadureça logo e instale-se na vida adulta. Não há motivos para reviver sua infância, ela foi uma merda, Graças a Deus. Você e eu temos motivos de sobra para querer estar na maturidade e gozar suas maravilhas, entre elas a capacidade de dar importância ao que de fato tem importância e não apenas ao que abala nossos afetos por um instante através de lembrança. Que os mortos enterrem seus mortos. Eu preciso de você bem disposta, pronta para servir e amar.” – escreve Ítalo.

Se eu fosse ele teria respondido com o Catecismo:

§385 Deus é infinitamente bom e todas as suas obras são boas. Todavia, ninguém escapa à experiência do sofrimento, dos males existentes na natureza que aparecem ligados às limitações próprias das criaturas e, sobretudo, à questão do mal moral. De onde vem o mal? “Eu perguntava de onde vem o mal e não encontrava saída”, diz Santo Agostinho, e sua própria busca sofrida não encontrará saída, a não ser em sua conversão ao Deus vivo. Pois “o mistério da iniquidade” (2 Ts 2,7) só se explica à luz do “Mistério da piedade”. A revelação do amor divino em Cristo manifestou ao mesmo tempo a extensão do mal e a superabundância da graça. Precisamos, pois, abordar a questão da origem do mal fixando o olhar de nossa fé naquele que, e só Ele, é o Vencedor do mal.

Creia em Deus e reze para que ele te cure dessa ferida, pois só ele é capaz disso.

Em outro print ele aconselha um seguidor a se endividar para comprar seu curso de R$ 3.999,00, moralmente errado.

Há 5 anos eu precisava fazer um curso que custava 8 mil. Eu não tinha cartão de crédito e estava quebrado, mas sabia que aquilo poderia mudar a minha carreira. Pedi dois cartões emprestados. Dividi em 12 vezes e fui! Poucas coisas relevantes e definitivas são conquistadas sem esforço, aventura e um pouco de loucura” – responde Ítalo.

Psiquiatra menospreza uma internauta que sofreu abuso sexual

Print do Italo falando para uma mulher não se depilar.

Recentemente em uma série de stories no Instagram o psiquiatra estava incentivando as mulheres a não depilarem suas regiões íntimas, o que além de ser bizarro, pode fazer muitos homens entrarem em estado de pecado grave. Também em um de seus stories podemos encontrar ele tendo total falta de piedade ao orientar um homossexual católico e xingando uma seguidora que o elogiou. O homossexual, mais uma vez eu teria respondido com o catecismo:

2359. As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes do autodomínio, educadoras da liberdade interior, e, às vezes, pelo apoio duma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem aproximar-se, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.

Quanto a moça que o chamou de bonito, apenas um obrigado seria mais piedoso do que chamar a mulher de prostituta.

A mentalidade que Ítalo Marsili pretende incutir nas pessoas é a crença da autossuficiência à revelia da realidade dos fatos. Ele se baseia num processo narcisista de onipotência, “você pode atrair dinheiro, você pode criar e atrair o que quiser”. A atitude positiva de educar a pessoa para ser proativa e arregaçar as mangas para ir atrás do que quer, vira um conjunto de comandos vazios motivacionais. Dá certo, até as coisas não saírem bem do jeito que você espera porque, bem, a vida não está sob o seu comando e você não pode manipular o universo como o gênio da lâmpada. Quando isso acontece a pessoa se culpa, acha que está se boicotando e não está exercendo direito os seus poderes; ela não sabe avaliar as condições nem os dados de realidade, não sabe ser justa entre o que é sua responsabilidade e o que é responsabilidade do outro, nem até onde vai as coisas que ela realmente pode mudar e o que ela deve aceitar.

Em seus stories o psiquiatra insulta com palavrões qualquer pessoa que discorde dele e insinua que a pessoa apenas está com inveja. Ítalo usa o efeito dunning kruger. “efeito Dunning-Kruger é o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros, mais bem preparados, fazendo com que tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos; é a sua incompetência que os restringe da habilidade de reconhecer os próprios erros.”

Os palavrões e as ofensas contrariam a modéstia masculina além de ser pecado grave. (O ato de falar palavrão não é pecado, mas o ato de ofender alguém sim.)

Mt 12, 36-37: Eu vos digo: no dia do juízo os homens prestarão contas de toda palavra vã que tiverem proferido. É por tuas palavras que serás justificado ou condenado.

As coisas que o Dr fala poderíamos classificar como efeito placebo. Placebo é um medicamento, substância ou qualquer outro tipo de tratamento que se parece com um tratamento normal, mas que não possui efeito ativo, ou seja, que não faz qualquer alteração no organismo, mas por conta das pessoas acreditarem que aquele medicamento faz algum tipo de efeito elas acabam sendo curadas, no final, tudo não passa de um efeito psicológico de autoconfiança. As pessoas já possuem uma predisposição a mudarem de vida, o Ítalo é uma “pulseira de equilíbrio” que fala um monte de palavrões e frases motivacionais, no final da história, as pessoas resolvem seus problemas por si e acham que isso é resultado de alguma frase do Dr. Isso fica mais evidente quando lemos seus stories e seus posts, tudo que ele fala não é nenhuma novidade, como o último post dele sobre a feminilidade, em que as pessoas aplaudem, de fato o post é muito interessante, mas o Padre Paulo Ricardo já falava nesse assunto desde 2013. Todos os outros posts sobre doutrina da igreja, podemos encontrar em qualquer blog católico na internet, ou até mesmo no catecismo.

Ele pode ter feito um bom trabalho com alguns milhares de pessoas, pode ter tirado da depressão, mas isso não justifica fazer dele um deus e nem mesmo diz que tudo que ele fala esteja correto, o protestantismo tira muitos da depressão mas isso não significa que o protestantismo é bom.

Mas o maior problema sobre o Ítalo Marsili é que seus seguidores o trata como um deus incriticável, perfeito e detentor de todo o saber, aquele que faz milagres e tira pessoas milagrosamente da depressão. As pessoas chegam ao bizarro de terminarem relacionamento por causa do Ítalo Marsili! Como relata uma seguidora:

namorado terminou comigo por causa de você. inveja. ele disse ou você ou ele… agradeço kkk” – afirma a internauta.

Diálogo de uma mulher que terminou com o namorado por causa do Ítalo

Para encerrar, faço das palavras do Padre Augusto Bezerra as minhas:

“Coach não substitui direção espiritual, orientações de vida cristã e o magistério da Igreja. Cuidado com pessoas que se metem a dizer o que é prática moral ou não, pecado ou graça sem que tenha ciência teológica para tal. Nós, enquanto sacerdotes católicos, nos preparamos durante 8 anos para ajudá-los em tais matérias. Por exemplo, recentemente soube que um coach católico anda dizendo criticamente para milhares de seguidores equivocadamente que o Método Billings é camisinha católica. A pessoa que fala um troço desse está se metendo num campo que não entende da moral católica e precisa estudar os fundamentos mais básicos antes de falar. Por isso, procurem orientação da Igreja.”

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




Leia Mais

Comentários

Apenas usuários logados podem comentar ou responder nossas matérias.