fbpx

Conheça três das imagens mais antigas de Jesus

Mathias Ribeiro
. Atualizado: 17/05/2018 às 23h:50

De Roma ao Monte Sinai no Egito, a iconografia cristã primitiva é surpreendentemente diversa.

Nenhum dos quatro Evangelhos descreve Jesus em detalhes. No entanto, a tradição cristã representou-o usando diferentes modelos iconográficos. Desde o barulhento e juvenil “Cristo Alexandrino”, baseado em proporções e cânones clássicos gregos normalmente aplicados à escultura, ao “Cristo Sírio” de cabelos compridos e barbudo, seguindo o costume do Império Bizantino, a cristandade sempre reconheceu na imagem não apenas um ritual litúrgico, elemento relacionado cultural, mas também uma ferramenta eficaz de evangelização em um mundo onde leitura e escrita não são habilidades difundidas.

Aqui, queríamos compartilhar com você apenas três das primeiras imagens da tradição cristã, que testemunham diferentes latitudes e tradições.

Grafite de Alexamenos

Esta pode ser a imagem mais antiga do mundo relacionada a Jesus e ao cristianismo. No entanto, esta não é uma imagem litúrgica ou devocional, mas uma gravura em uma parede de gesso em Roma, zombando de Cristo e dos cristãos. Nele, uma figura humana crucificada, com cabeça de burro, é retratada sendo adorada por uma pessoa, ao lado da inscrição “Alexamenos adorando seu deus.” Já que a crucificação era a punição reservada aos piores criminosos (até o século IV, quando Constantino aboliu a cabeça de burro visa tornar a imagem ainda mais ofensiva. O valor dessa imagem reside no fato de que ela prova a presença de cristãos em Roma desde o primeiro século: é a idade desse grafite!

Grafite de Alexamenos


O Bom Pastor

A imagem de Cristo como o Bom Pastor está enraizada nos Evangelhos. Mas mesmo antes da era cristã, um motivo clássico da escultura grega era o moskophoros, ou “o portador do bezerro”. A escultura original do moskophoros, considerada uma obra-prima da escultura grega arcaica, foi datada de 570 a.C e foi esculpida por um artista anônimo na Ática. Os romanos adotaram essa figura familiar do repertório iconográfico do mundo antigo, decorando suas casas com cenas pastorais de pastores e seus rebanhos. Essas imagens foram facilmente adaptadas para representar Cristo, o Bom Pastor que dá a vida por suas ovelhas. A imagem mostrada aqui pode ser vista nas Catacumbas de São Calisto, na Via Appia, fora de Roma.

O bom pastor

O Pantocrator

Literalmente, a palavra grega Pantocrator se traduz em “aquele que tem autoridade sobre tudo”. É entendida como a tradução grega de duas expressões hebraicas usadas para se dirigir a Deus no Antigo Testamento, o “Deus dos Exércitos” (Sabaot) e, mais comumente , o “Todo Poderoso” (El Shaddai), como encontrado na Bíblia Septuaginta, a primeira tradução das Escrituras Hebraicas para o grego. A imagem que incluímos é a do ícone mais antigo do Pantocrator no mundo, pintado sobre uma tábua de madeira em torno do sexto ou sétimo século. Cristo faz o gesto do professor tradicional com a mão direita e segura o Livro dos Evangelhos à sua esquerda. Este ícone ainda está preservado no Mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai, no Egito, um dos mais antigos mosteiros ativos da Terra.

Pantocrator

Compartilhe

Encontrou algo errado na matéria COMUNIQUE ERROS

Leia Mais

Comentários

Apenas usuários logados podem comentar ou responder nossas matérias.