Bispo ucraniano pede ao Ocidente que não siga regras de Putin

O serviço de oração aconteceu no mesmo dia em que Putin avisou que usaria armas nucleares para defender o território russo.

Por: Sophia Mendes
. Atualizado: 23/09/2022 às 14h:47
Bispo católico ucraniano pede ao Ocidente que não jogue pelas regras de Putin
Foto de Ліонкінг/Wikimedia

O principal prelado greco-católico ucraniano nos Estados Unidos pede orações contínuas pela nação. Além disso, ele adverte os líderes mundiais a não “jogarem pelas regras do presidente russo Vladimir Putin” em suas respostas.

Intimidação é o jogo deles e é importante não jogar o jogo por suas regras“, disse o arcebispo Borys Gudziak, “não sou um estrategista militar ou político, mas garanto que oramos ao Senho. Olhe para o exemplo dos mártires do passado e nestes dias encontraremos as respostas para seguir em frente.

Em 21 de novembro, em uma missa noturna pelas vítimas da guerra, realizado na igreja da cripta da Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição, o Cardeal Wilton Gregory de Washington e o Arcebispo Timothy Broglio da Arquidiocese de Serviços Militares celebraram a oração com outros líderes da Igreja e fiéis presentes.

Putin avisou que usaria armas nucleares

A oração aconteceu no mesmo dia em que Putin avisou que usaria armas nucleares para defender o território russo; Palavras que Gudziak chamou de ameaçadoras. Ao mesmo tempo, o Kremlin anunciou que cerca de 300.000 reservistas com serviço militar anterior irão para o front.

Related Posts

Gregory chamou a invasão russa da Ucrânia de inconcebível e observou que desde que começou, dezenas de milhares de soldados ucranianos perderam suas vidas. Além disso, quatro vezes mais foram feridos; há cerca de 5.900 vítimas civis e mais de 8.600 feridos; e mais de 14 milhões de ucranianos saíram de suas casas. Incluindo 7,3 milhões de mulheres e crianças que fugiram para outros países europeus em busca de segurança.

Entre as orações que Gregory fez estavam orações de solidariedade com o povo da Ucrânia.

Gudziak visitou a Ucrânia quatro vezes nos últimos quatro meses e disse que era triste ver o fluxo diário de funerais em todo o país. Ele chamou aqueles que defendem o país de crème de la crème. Ele observou que a resiliência dos ucranianos lhe dá esperança.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    0 Comentários

    Os comentários são exclusivos para assinantes do Deo Vero.