Angelus: Papa expressa sua proximidade com vítimas da pandemia | Deo Vero

Angelus: Papa expressa sua proximidade com vítimas da pandemia

O Papa Francisco, após a recitação do Angelus, ora por países que continuam sendo duramente atingidos pelo Coronavírus. Ele também lembra que o mês de junho é dedicado de maneira especial ao Coração de Cristo.

Por: Nicolas Matheus
. Atualizado: 7/06/2020 às 10h:33
Papa Francisco durante o Angelus (AFP ou licenciadores)

Em suas saudações aos fiéis após a recitação da Oração Mariana no domingo, o Papa Francisco observou que a presença deles na Praça de São Pedro era um sinal de que “a fase aguda da epidemia terminou na Itália, apesar de continuar sendo necessário seguir a regras em vigor com cuidado. “

Ele disse aos reunidos na praça para “ter cuidado, não cante a vitória cedo demais”. 

O papa também os aconselhou a seguir as regras com cuidado “, porque são regras que nos ajudam a impedir a propagação do vírus.

Em alguns países, ele apontou: “o vírus continua a reivindicar muitas vítimas. Sexta-feira passada, em um país, um por minuto morreu! Terrível “, disse ele.

Com isso em mente, o Papa Francisco expressou sua proximidade com essas populações, com os doentes e suas famílias, e com todos aqueles que cuidam deles.

O Sagrado Coração de Jesus

Após o Angelus, o Papa lembrou também que o mês de junho é dedicado de maneira especial ao Coração de Cristo. Ele disse que é “uma devoção que une os grandes mestres espirituais e os simples entre o povo de Deus”.

De fato, ele continuou: “O coração humano e divino de Jesus é a fonte onde sempre podemos recorrer à misericórdia, perdão e ternura de Deus. Podemos fazê-lo concentrando-nos em uma passagem do Evangelho, sentindo que no centro de todo gesto, de toda palavra de Jesus, há amor, o amor do Pai. ”

Também podemos fazê-lo, disse o Papa Francisco, “adorando a Eucaristia, onde esse amor está presente no Sacramento. Então nosso coração também, pouco a pouco, se tornará mais paciente, mais generoso, mais misericordioso. ”

A Trindade é o amor a serviço do mundo

Inspirando-se no evangelho de domingo, festa da Santíssima Trindade, o Papa Francisco sublinhou o amor de Deus pelo mundo.

O Papa observou que, em seu breve diálogo com Nicodemos, Jesus se apresenta como “Aquele que realiza o plano de salvação do Pai para o mundo”.

Deus dá seu único filho

Jesus afirma: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho único, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

O Papa explicou: “essas palavras indicam que a ação das três Pessoas divinas – Pai, Filho e Espírito Santo – é um plano único de amor que salva a humanidade e o mundo”.

“O mundo está marcado pelo mal e pela corrupção”, disse o Papa Francisco, “e nós, homens e mulheres, somos pecadores”.

Deus nos ama, apesar dos nossos erros

Portanto, ele continuou: “Deus poderia intervir para julgar o mundo, destruir o mal e castigar os pecadores. Em vez disso, ele ama o mundo, apesar de seus pecados. Deus ama cada um de nós, mesmo quando cometemos erros e nos distanciamos Dele. ”

Deus, o Pai, amou tanto o mundo, enfatizou o Papa, que, para salvá-lo, deu Seu Filho unigênito.

A Santa Trindade

“A Trindade é, portanto, Amor, tudo a serviço do mundo, que Ele deseja salvar e recriar”, afirmou.

Neste dia de festa, comentou o Papa Francisco, “convida-nos a voltar a ser fascinados pela beleza de Deus” e a acolher o amor que Ele nos dá por Jesus Cristo.

Esta é a fé, continuou o Papa: “nos deixarmos encontrar por Ele e confiar nEle. Esta é a vida cristã. Amar, encontrar Deus, buscar Deus; e Ele nos procura primeiro, nos encontra primeiro”.

Encontrou algo errado na matéria?

Nosso apostolado possui em sua equipe editorial jornalistas profissionais, sacerdotes, professores e leigos, por esta razão, é possível que o conteúdo do nosso site contenha erros e para isso precisamos da sua ajuda.




    Leia Mais

    Comentários

    Apenas usuários logados podem comentar ou responder nossas matérias.